terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Quem dera!



Não são apenas os produtos tangíveis da indústria que precisam ser periodicamente avaliados pra que se tenha revista a sua adequação ao estágio de conhecimento alcançado, à realidade social etc. Produtos intangíveis da indústria "cultural" também podem fazer um belo dum estrago. Baboseiras ditas para ganhar audiência acabam influenciando as pessoas de uma forma inacreditável e podem demonizar condutas as mais louváveis, num eficaz serviço de desinformação.

Há poucos dias, recebi pelo Facebook a notícia de que Michele Maximino - a maior doadora de leite materno do Brasil, depois de protagonizar uma "simples piada" (segundo o próprio) do humorista Danilo Gentili em programa de TV de 2013, tornou-se alvo do escárnio de muitos e decidiu, junto à sua família, mudar de cidade para tentar um recomeço de vida.

http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/02/maior-doadora-de-leite-materno-do-brasil-perde-batalha.html

Fico pensando em como estará se sentindo Michele... Difícil saber.

Mas é fácil imaginar como estarão se sentindo os inúmeros bebês salvos por suas doações. Michele salvou muitas vidas: as vidas dos bebês que se alimentaram com seu leite e de todas as pessoas de suas famílias, ao vê-los não morrer e lutar pelo restabelecimento de suas funções biológicas.

Daí eu me pergunto se essas pessoas não poderiam ajudar a virar esse jogo e, de quebra, contribuir para o esclarecimento dos tantos outros que "embarcaram" na tal piada.

Mas talvez a coisa seja meio assim: tem-se o filho, ele precisa de leite doado, o hospital dá o leite e quem o recebeu visualiza isso como uma coisa institucional, sem ninguém por traz...

Isso pode mudar? Os bancos de leite podem fazer algo a respeito também sobre isso (já fazem tanto, mas será que podem contribuir para que as famílias contempladas com a doação a valorizem?).

Sei que o principal seria chamar à responsabilidade os profissionais que, como Danilo, lançam palavras ao vento que podem ganhar um poder incalculável de disseminação. Que máximo seria se ele voltasse atrás, se dedicasse um de seus programas a rever tudo, devolvendo a Michele a real notoriedade que sempre mereceu...

Olha, presto muita atenção ao que as pessoas dizem porque tudo o que se diz e se faz deixa marcas. Boas ou ruins. E não existe nada que as apague, mas. sim, pode haver algo que as corrija para sua real significação.

Desejo que no ano que se inicia Michele e sua família recebam o devido reconhecimento pelo imenso bem que fizeram a tantos, e recupere a sua paz.







7 comentários:

  1. Cristiane,li seu blog de cabo a rabo,estou assistindo Formula Fix e chocada.Tenho 27 anos,não tenho filhos,não estou grávida,mas busco informação para quando planejar ter um.Folheei meu álbum de bebê e achei uma foto minha tomando mamadeira com 1 mês de idade e chupeta em algumas,que eu lembro ter dado ao "Papai Noel" que foi na escola aos 2 ou 3 anos.Obrigada por compartilhar a informação.

    ResponderExcluir
  2. Mari, fico muito feliz com suas impressões do blog. Fazem com que eu me sinta útil ao compartilhar essa loucura toda. Eu também usei chupeta, acredite, até os 6 anos de idade (!) e a entreguei para um cachorro... Bom, muitas felicidades pra você e agradeço por sua presença aqui e por seu comentário.

    ResponderExcluir
  3. Você ainda duvida que essa loucura toda é útil?Hehehe!
    Uma das minhas maiores preocupações é não poder amamentar porque eu tenho Transtorno Borderline de Personalidade e tomo remédios...bom,quando vier,meu filho(a),será planejadissiérrimo!

    ResponderExcluir
  4. Não duvido, claro que não, mas eu me sinto útil, Mari, ao fazê-lo :o) E tenho certeza de que você está procurando o melhor para esse futuro que está por vir. Tudo de bom!

    ResponderExcluir
  5. Aliás,gostaria de conversar mais sobre,você tem facebook ou algo do tipo?

    ResponderExcluir
  6. Escreva para meu e-mail: cristinenogueira13@gmail.com

    ResponderExcluir